Século XXI cambalache

Por Isaias Costa

difference

O Raul Seixas era um cara extremamente crítico em suas canções, ao mesmo tempo em que buscava ser autêntico e verdadeiro. Se tem uma coisa que ele buscava sempre era não ser um hipócrita. Ele bebia, fumava, se drogava, ferreava, vivia indo a bordéis, mas ele nunca negava isso a ninguém, nem mesmo à sua família. Essa sua atitude me faz admirá-lo e tê-lo como uma das minhas referências. Eu prefiro prestar atenção em alguém cheio de maluquices como ele, mas que era autêntico, do que perder meu tempo ouvindo pseudomestres e gurus que se autointitulam “santos”, mas que vivem uma vida de mentiras, de hipocrisia, já com a alma impreguinada de demônios e uma voz suave de pregador. É assim que eu penso, não precisa concordar comigo…

Vou fazer uma breve reflexão a partir de uma das minhas músicas favoritas do Raul, a “Cambalache”. A música com a letra completa estão logo abaixo.

Cambalache- Raul Seixas

Que o mundo foi e será uma porcaria eu já sei
Em 506 e em 2000 também
Que sempre houve ladrões, maquiavélicos e safados
Contentes e frustrados, valores, confusão
Mas que o século xx é uma praga de maldade e lixo
Já não há quem negue
Vivemos atolados na lameira
E no mesmo lodo todos manuseados
Hoje em dia dá no mesmo ser direito que traidor
Ignorante, sábio, besta, pretensioso, afanador
Tudo é igual, nada é melhor
É o mesmo um burro que um bom professor
Sem diferir, é sim senhor
Tanto no norte ou como no sul
Se um vive na impostura e outro afana em sua
Ambição
Dá no mesmo que seja padre, carvoeiro, rei de paus
Cara dura ou senador
Que falta de respeito, que afronta pra razão
Qualquer um é senhor, qualquer um é ladrão
Misturam-se beethoven, ringo star e napoleão
Pio ix e d. joão, john lennon e san martin
Igual como na frente da vitrine
Esses bagunceiros se misturam à vida
Feridos por um sabre já sem ponta
Por chorar a bíblia junto ao aquecedor

Século xx “cambalache”, problemático e febril
O que não chora não mama
Quem não rouba é um imbecil
Já não dá mais, força que dá
Que lá no inferno nos vamos encontrar
Não penses mais, senta-te ao lado
Que a ninguém mais importa se nasceste honrado

Se é o mesmo que trabalha noite e dia como um boi
Se é o que vive na fartura, se é o que mata, se é o
Que cura
Ou mesmo fora-da-lei

O título da música é “Cambalache”. O que essa palavra significa? Ela significa: “ato feito no intuito de enganar algo ou alguém”. Enfim, essa música vem nos falar basicamente das inúmeras inversões de valores vividas em nossa sociedade. O que acho mais interessante é que ele escreveu essa música ainda no século XX, mas veja só! De lá pra cá, o que mudou? Mudou sim! Para pior. O título deste texto é “Século XXI cambalache”, estamos vivendo um século mais cambalache do que o Raul jamais poderia imaginar. Às vezes chego até a refletir se o Raul suportaria viver no Brasil nas condiçõs em que nos encontramos hoje, ao mesmo tempo fico pensando o que um cara tão genial como ele faria se tivesse acesso à internet como nós temos. Imagino que ele “faria miséria”, atacaria o governo, os políticos, as grandes corporações… não duvido nada que ele fosse assassinado. Você percebe que pessoas que têm um potencial enorme de fazer acontecer grandes revoluções normalmente são assassinadas? Exemplos não faltam: Jesus Cristo, Sócrates, Mahatma Gandhi, Martin Luther King, Abraham Lincoln, Osho, John Lennon… As pessoas não suportam estar perto de alguém que mexe diretamente com a pseudo-ordem social, mexe diretamente no pensamento das pessoas, levando-as a crescerem em amor, consciência e liberdade. Foi isso o que Jesus Cristo fez e terminou pregado numa cruz. Sabe a música genial do Raul chamada “Cowboy fora da lei”? Logo no início ele diz: “Mamãe não quero ser prefeito. Podeser que eu seja eleito e alguém pode querer me assassinar…”. Ao compor essa música, acredito que provavelmente o Raul lembrou de exemplos como Abraham Lincoln e muitos outros, que foram duramente assassinados devido aos seus ideais libertários. E lá na frente ele diz: “Oh coitado foi tão cedo. Deus me livre eu tnho medo. Morrer dependurado numa cruz”. Aqui, logicamente ele está falando sobre Jesus Cristo, que morreu muito jovem também por causa dos seus ideais libertários. O Raul morria de medo de morrer da mesma forma, e com muita razão… Essa é uma discussão muito longa, poderia escrever um livro só sobre isso..

Que o mundo foi e será uma porcaria eu já sei
Em 506 e em 2000 também
Que sempre houve ladrões, maquiavélicos e safados
Contentes e frustrados, valores, confusão
Mas que o século xx é uma praga de maldade e lixo
Já não há quem negue
Vivemos atolados na lameira
E no mesmo lodo todos manuseados

Estamos todos no mesmo lodo, todos manuseados pelo sistema que corrompe nossos valores mais nobres, dignidade, honestidade, retidão, empatia. O mundo se transformou numa praga de maldade e lixo e poucos são os que têm coragem de se expressar e mostrarem sua indignação e possíveis caminhos para se reverter isso. Estou aqui nesse intuito, para mostrar que é possível sim reverter isso, e o caminho está dentro de cada um de nós, aravés do crescimento em consciência. Sempre haverão ladrões, maquiavéicos e safados, mas que nós não façamos parte desse grupo nojento de pessoas.

Hoje em dia dá no mesmo ser direito que traidor
Ignorante, sábio, besta, pretensioso, afanador
Tudo é igual, nada é melhor
É o mesmo um burro que um bom professor
Sem diferir, é sim senhor
Tanto no norte ou como no sul
Se um vive na impostura e outro afana em sua
Ambição
Dá no mesmo que seja padre, carvoeiro, rei de paus
Cara dura ou senador

Esta é uma parte pesada dessa música. Nela ele fala que tanto faz ser do bem ou não. Para essa sociedade doente, não há muita diferença em ser honesto ou desonesto. Estamos cada vez mais cansados de ver tanta IMPUNIDADE. Políticos desviando dinheiro público ao bel prazer, um descaso com a educação, com a saúde pública, com os transportes públicos, sete anos de preparação para uma copa do mundo onde se chega na copa e ainda há milhares de obras a serem construídas, milhões “mamando nas tetas” da população que paga impostos exorbitantes, juros nos bancos que só faltam sugar a nossa alma junto com o dinheiro e mais milhões de outras barbaridades. O que o Raul quer dizer na música é que se torna muito difícil continuar sendo honesto em meio a uma realidade como essa, onde quase todos estão se corrompendo.

Que falta de respeito, que afronta pra razão
Qualquer um é senhor, qualquer um é ladrão
Misturam-se beethoven, Ringo Starr e Napoleão
Pio ix e d. joão, john lennon e san martin
Igual como na frente da vitrine
Esses bagunceiros se misturam à vida
Feridos por um sabre já sem ponta
Por chorar a bíblia junto ao aquecedor

Aqui ele faz uma mistura louca de pessoas, coloca todos na mesma situação. John Lennon foi assassinado (ele era ladrão?), Napoleão foi envenenado (ele era ladrão?), Ringo Starr está vivo (ele é senhor ou ladrão?). Ele coloca esses personagens para dar um nó na nossa mente. Estamos todos sendo feridos por um sabre já sem ponta. Essas são feridas que não se vê na pele, mas se vê nas insatisfações com a vida, com o país, com o trabalho, com a própria família muitas vezes…

A última frase desta estrofe se junta a última parte da música.

Século xx “cambalache”, problemático e febril
O que não chora não mama
Quem não rouba é um imbecil
Já não dá mais, força que dá
Que lá no inferno nos vamos encontrar
Não penses mais, senta-te ao lado
Que a ninguém mais importa se nasceste honrado

Se é o mesmo que trabalha noite e dia como um boi
Se é o que vive na fartura, se é o que mata, se é o
Que cura
Ou mesmo fora-da-lei

Chorar a bíblia, isso é o que faz boa parte dos pastores da igreja universal e também muitos padres e líderes religiosos, com o intuito de “mamar nas tetas” dos fiéis. “O que não chora não mama”, para ter dinheiro fácil tem que chorar e tem que mostrar para os fiéis que eles serão castigados se não derem o dinheiro. Será? Não vou me estender nisso para não criar muita polêmica, vou deixar apenas uma foto que resume bem tudo o que tenho a dizer. Veja…

10013549_699524946777622_1449378430_n

A frase: “Não penses mais, senta-te ao lado. Que a ninguém mais importa se nasceste honrado” passa pela mente de quase todas as pessoas honestas. Elas crescem nutrindo diversos valores que para a sociedade não valem muita coisa, então o Raul diz para não pensar demais, exatamente porque se pensar demais a consciência vai sobressair e vai se tornar mais difícil ser um ladrão. Você pensa que os ladrões pensam demais antes de executarem seus roubos? Claro que não! Porque o pensamento é inimigo da desonra. Então para sentar ao lado dos ladrões basta se tornar tão burro e demente quanto eles, que agem sem pensar criticamente. Espero que ao ler estas palavras você tenha orgulho de ser uma pessoa honesta, os honestos são mais inteligentes, por mais que a sociedade queira dizer o contrário. Quem não rouba é um imbecil. Será? Para mim, imbecis são os que precisam roubar para crescer na vida, aliás, para crescer não, para ter coisas, crescer na vida é bem diferente, é ser mais amoroso, consciente e feliz, e não simplesmente ter um montão de dinheiro na conta bancária… Há muito mais a ser falado, mas deixo com você leitor se quiser acrescentar algo nos comentários.

Para terminar, nada melhor do que uma frase do ilustríssimo Rui Barbosa, um homem genial que acredito não ter se corrompido no meio do caminho.

“De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto”

Rui Barbosa

  • Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]
Anúncios
Século XXI cambalache

5 comentários sobre “Século XXI cambalache

    1. Nossa! Que legal Andréia! Não sabia disso. Obrigado pela contribuição. Eu pensava que essa melodia tinha sido feita por ele. Bacana saber disso!
      Mas a letra dessa música é muito genial, né não? É uma das minhas músicas favoritas dele…
      Grande abraço!

  1. É extraordinário a letra dessa música independente de ser ele o autor ou não. Não obstante, Raul Seixas tinha um seleto grupo de ídolos que influenciavam em seu modo de pensar, agir e de se expressar. Raul Seixas sempre foi original em relação às letras de suas músicas, sempre soubera retratar a realidade em suas composições, mas que cabia à poucos saberem interpreta-la. Viva Raul Seixas! Viva Sociedade Alternativa!

  2. Cambalache é um tango de Enrique Santos Discépolo, de 1934! O que o Raul Seixas fez foi simplesmente uma versão em português. Que falta de conhecimento desse comentarista! O significado da palavra é lugar onde se vendem coisas usadas, só isso.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s