Uma interpretação da música “Quero ser o homem que sou”

Por Isaias Costa

Raul Seixas (Credito Juan Luis Guerra)

Vou desenvolver nesse texto uma das diversas interpretações possíveis de uma linda música do Raul Seixas que, infelizmente, é pouco conhecida pela grande massa. Uma música mais ouvida pelos fãs do Raul que se chama “Quero ser o homem que sou”.

Abaixo está a letra completa com a música para ser ouvida.

Dizendo a verdade
Somente a verdade
Dizendo a verdade
Somente a verdade… *

Essa vã criatura indecisa no mal
Indecisa no bem
Sempre buscando aventuras
E sempre à procura das dores também
Com todos os desejos, pecados, receios
Rancor e arquejos
Do animal que gargalha
E que traz na boca rugidos e beijos

Mas… (*)

Esse gênio esboçado, essa criança louca
Esse filho da dor
Que foi capaz de erguer do lodo
Uma voz rouca em um canto de amor
Enquanto geme e chora
Mata e mente, acusa e defende
Deixa ficar pra trás
Na sua jornada uma canção de glória

(*)

Quero ser o homem que sou
Sim, quero ser o homem que sou
Sim, quero ser o homem que sou !

Mas…(*)

“Quero ser o homem que sou.. Assim, da maneira que sou”

Esse gênio esboçado, essa criança louca
Esse filho da dor
Que foi capaz de erguer do lodo
Uma voz rouca em um canto de amor
Enquanto geme e chora
Mata e mente, acusa e defende
Deixa ficar pra trás
Na sua jornada uma canção de glória!!

****************

Ele já inicia a música incentivando a dizer a verdade e somente a verdade, algo difícil não é?

O Raul dizia a sua verdade a todas as pessoas porque era um cara AUTÊNTICO. Ele era tão sincero e verdadeiro que muita gente tinha dificuldade de conviver pessoalmente com ele, não é à toa que ele se intitulava aspirante a “Maluco beleza”, é por isso, porque somente os malucos têm a coragem de dizer a verdade e somente a verdade…

Na primeira estrofe ele fala sobre estar indeciso no mal e indeciso no bem, porque ele nem mesmo sabia com convicção o que era o bem e o que era o mal. Isso só revela o quanto ele era absurdamente inteligente.

Quem de fato é inteligente, não consegue sair por aí dizendo: “Isso é bom! Isso é mal”, porque ao fazer isso, querendo ou não, está JULGANDO, e todo julgamento tem sempre algum pressuposto, entende? É bom baseado em quê? É mal baseado em quê?

Só nessa frase é possível fazer uma mega viagem filosófica, mas vou deixá-la com você, OK?

“Sempre buscando aventuras e sempre à procura das dores também”.

Nessa frase ele fala sobre aventura, palavra que tem a mesma raíz de ADVENTO, ou seja, algo que à de vir. Em outras palavras, quem se aventura está caminhando para encontrar algo no futuro que não sabe bem ao certo o que é, mas tem a esperança de ser algo bom.

Então ele completa falando sobre as dores e acho genial sua colocação, porque ao se aventurar, uma palavra sempre vem acompanhada, e essa palavra se chama RISCO. Toda aventura implica riscos, que podem trazer coisas boas para você ou não.

A importância de correr riscos 

Muitas pessoas têm medo de se aventurarem exatamente porque com os riscos, elas se focam no negativo, e não no positivo, e com isso fogem da própria verdade. Aqui volto para o refrão: “Dizendo a verdade, somente a verdade”.

Ao ter medo de se arriscar e se aventurar você não está seguindo a sua própria verdade, porque está condicionado, está com medo. E esse medo acaba lhe paralisando ou freando o seu caminhar.

Muita gente deixa de ir muito mais longe na vida por causa dessa falta de aventura.

Se você absorver apenas isso desse texto, já me sinto imensamente feliz. Busque se aventurar mais, o que à de vir pode ser muito melhor do que você imagina.

Em seguida ele fala sobre o MUNDO DUAL: “Com todos os desejos, pecados, receios
Rancor e arquejos. Do animal que gargalha. E que traz na boca rugidos e beijos.”

Nossa vida é marcada pela dualidade e o Raul mostrava isso nas suas músicas. Ele tinha músicas de protesto como “Mosca na sopa”, “Eu também vou reclamar”, “Metrô linha 743”, “Sociedade alternativa”, mas também tinha música cheias de amor e ternura como “Mas I love you”, “coisas do coração”, “baby”, “água viva”, “mata virgem”.

Grande Raul! Ele era bem mais romântico do que muitos pensam por aí, sabia?

Na segunda estrofe ele fala que foi capaz de erguer do lodo uma voz rouca em um canto de amor. Enquanto geme e chora. Mata e mente, acusa e defende. Deixa ficar pra trás. Na sua jornada uma canção de glória…

Mais uma vez ele fala sobre a dualidade da vida, mas de uma maneira serena, com aceitação.

Não há como fugir dela, um dia estamos felizes, em outro estamos tristes. Ora estamos com muita saúde, em outra não estamos. Ora estamos repletos de novos projetos e sonhos, em outra não estamos. E aí? Adianta se desesperar por isso? Não mesmo!

Era isso que o Raul queria nos transmitir com essa linda música.

Portanto! Basicamente é isso. Seja você! Viva a sua verdade. Diga a sua verdade para as pessoas. Sem medo!

Desta maneira a sua vida vai se transformar em uma canção de glória!

Anúncios
Uma interpretação da música “Quero ser o homem que sou”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s