Uma interpretação alternativa da música “A maçã”

Por Isaias Costa

rauldefrente11041633_771639639621516_1430662693601053402_n

Fiquei muito feliz em receber recentemente uma mensagem especial de uma amiga Raulsseixista me instigando a olhar para a linda música “A maçã” do Raulzito, sob uma perspectiva completamente diferente da que a maior parte das pessoas pensa!

A interpretação mais conhecida diz que ele compôs essa música como forma de “libertar” um de suas ex-esposas para viver outros amores! Acredito que essa interpretação é bastante coerente, pois todas as frases da música podem ser levadas para refletir desta maneira. Mas facilmente você pode encontrar na internet pessoas falando sobre essa música nessa perspectiva!

Esse texto é bem diferente! Vou viajar total na sua letra! Se prepare, porque você vai ler coisas que nunca leu antes sobre o mestre Raul!

Para que você compreenda esse texto, é fundamental assistir ao videoclipe oficial gravado pelo Raul em 1975, que dá pistas desta interpretação alternativa. Confira!

Se esse amor ficar entre nós dois
Vai ser tão pobre amor, vai se gastar

Se eu te amo e tu me amas
E um amor a dois profana
O amor de todos os mortais
Porque quem gosta de maçã
Irá gostar de todas
Porque todas são iguais

Se eu te amo e tu me amas
E outro vem quando tu chamas
Como poderei te condenar
Infinita tua beleza
Como podes ficar presa
Que nem santa no altar

Quando eu te escolhi para morar junto de mim
Eu quis ser tua alma, ter seu corpo, tudo enfim
Mas compreendi que além de dois existem mais
O amor só dura em liberdade
O ciúme é só vaidade
Sofro mas eu vou te libertar
O que é que eu quero se eu te privo
Do que eu mais venero
Que é a beleza de deitar

**********************

No clipe desta música, o Raul é apresentado como um funcionário que está trabalhando estressado, está cheio de afazeres e volta para casa dormindo dentro do metrô. Chega em casa, troca de roupa e vai deitar para dormir e começar tudo de novo no dia seguinte.

Em nenhum momento do vídeo é feita insinuação sexual nem nada parecido, o que me leva a desconfiar que a mensagem original da música tenha a ver com seu relacionamento amoroso na época!

Essa é realmente uma dúvida que eu tenho e creio ser bem difícil de ser respondida por algum raulsseixista que esteja lendo esse texto!

Estou escrevendo esse texto dando bastante abertura para que você reflita sobre essa música junto comigo OK? Ele talvez seja apenas uma mera divagação, mas pode ser que não seja não é mesmo? hehehe

Enfim! É bem provável que essa música se trate de um diálogo dentro da sua MENTE, que está vivendo em conflito com o seu CORAÇÃO.

Ele começa dizendo: “Se esse amor ficar entre nós dois. Vai ser tão pobre amor, vai se gastar. Se eu te amo e tu me amas. E um amor a dois profana. O amor de todos os mortais. Porque quem gosta de maçã. Irá gostar de todas. Porque todas são iguais”.

Ele canta essa parte da música olhando para um espelho, ou seja, ele mesmo refletido! Não é bacana? Pensei nessa frase como sendo a pobreza de viver um amor formatado de acordo com o convencional, com a mediocridade! O amor de todos os mortais seria isso, os medíocres, que infelizmente, compõem a maior parte da população, não só do Brasil, mas do mundo inteiro.

E a maçã seria os caminhos convencionais oferecidos pela sociedade: ganhar dinheiro, trabalhar para enriquecer um patrão, ter reconhecimento, conquistar títulos, status e uma série de coisas que ele via como besteira, como baboseira!

E quem gosta de uma maçã vai gostar de todas, pois todas as maçãs são iguais, só levam você para o mundo da MATÉRIA, nenhuma maçã pode lhe levar para a TRANSCENDÊNCIA, para o mundo da ESPIRITUALIDADE, que encantava e fascinava o grande Raulzito!

Na estrofe seguinte ele diz: “Se eu te amo e tu me amas. E outro vem quando tu chamas. Como poderei te condenar. Infinita tua beleza, como podes ficar presa. Que nem santa no altar…”

Essa é uma estrofe complexa, mas creio que ele esteja falando sobre a grandeza que existe na nossa alma, essa grandeza que pode nos levar a sermos eternizados, como ele mesmo foi! Mas a maior parte das pessoas prefere ficar presa à vidas medíocres e sem graça.

Então como uma espécie de chacota, ele compara com a vida das freiras, que no seu entendimento, é monótona, escravizante e sem prazer!

Essa estrofe é um diálogo entre o CORAÇÃO e a MENTE. “Se eu te amo e tu me amas e outro vem quando tu chamas, como poderei te condenar…” talvez seja a tristeza do coração ao ver a mente seguir um caminho triste que só leva ao sofrimento associado à vida materialista!

É como se o coração dissesse: “Não vá por aí meu amigo! Não vá por aí! Esse caminho não vai te fazer feliz…”.

O único caminho que pode nos fazer felizes é o caminho que tem coração. Como falei em outro texto: “Há tantos caminhos, tantas portas, mas somente um tem coração…”.

Há tantos caminhos, tantas portas

Então o coração questiona que não pode condenar a mente porque ela escolheu seguir um caminho de sofrimento, entende? Eu acho essa visão bem interessante!

Depois ele vai para as frases finais da música: “Quando eu te escolhi para morar junto de mim. Eu quis ser tua alma, ter seu corpo, tudo enfim. Mas compreendi que além de dois existem mais. O amor só dura em liberdade. O ciúme é só vaidade. Sofro mas eu vou te libertar. O que é que eu quero se eu te privo, do que eu mais venero, que é a beleza de deitar…”

Nestas frases, é como se o Raul estivesse dizendo que está vivendo em conflito, porque está infeliz com o seu trabalho massacrante. Essa escolha de “morar junto de mim” seria a MENTE querendo dominar tudo, inclusive seu coração, suas escolhas, seus amores, seus sonhos! É daí que vem a perspectiva do “além de dois”, esse além são todos os setores da vida do Raul: amor, trabalho, dinheiro, família, saúde, lazer, espiritualidade etc.

O amor só dura em liberdade é sem dúvida a frase que resume essa música! Ou seja, o amor só pode existir na vida do Raul e de qualquer pessoa se ele vem em LIBERDADE.

Ciúme é sentimento de quem está identificado com a mente! Nessa frase ele está dizendo que sente ciúme, mas que vai libertar a mente. Talvez esse libertar possa ser uma mulher, mas acredito que ele quis ir mais além, talvez seja a sua mente, para dar lugar ao seu coração, e desta forma, abrir espaço para o verdadeiro amor!

Então ele conclui dizendo que o que mais venera é deitar. Na interpretação clássica, esse deitar significa “fazer sexo”. Pode ser! Mas pode e provavelmente é bem mais que isso! Esse deitar talvez seja a LIBERDADE DE PENSAMENTO.

O deitar tem essa conotação, deixar os pensamentos quietos, calmos, para poder relaxar.

Perceba! Quando vamos deitar para dormir, estamos com a mente cheia por ter passado o dia inteiro trabalhando, então serenizamos, aquietamos nossa mente, e dentro de minutos, já estamos dormindo!

O que o Raul mais gostava era de filosofar sobre a vida, se aprofundar nos mistérios da humanidade, conhecer o universo, os discos voadores etc. Ele associou essa sua busca com a palavra “deitar”, que significa deixar seus pensamentos livres!

Enfim! Essa é a que chamo de “interpretação alternativa” para essa música! Convido você a assistir mais uma vez a esse clipe para analisar se o que falei faz sentido com o que o Raul mostra nas cenas dele!

Eu acredito que essa é uma interpretação coerente, apesar de meio maluca! Mas isso é bom, afinal, o Raul também era meio maluco, não é? Por causa disso ele despertou fãs meio malucos como ele!

Nos vemos nas próximas viagens filosóficas rausseixistas…

 

 

Anúncios
Uma interpretação alternativa da música “A maçã”

6 comentários sobre “Uma interpretação alternativa da música “A maçã”

  1. Diego Matos disse:

    Tratando-se de Raul Seixas tudo é possível. Eu fiquei fã mesmo do Raulzito quando com meus 12 anos mais ou menos discuti por alguns minutos com uma prima sobre a música “Maluco Beleza” e não chegávamos a um “denominador comum”. Aí compreendi que (talvez) o objetivo principal de Raul era simplesmente não ter um único objetivo, um único sentido. As músicas saiam do coração e da mente dele para corações e mentes das mais variadas possíveis e as interpretações seriam as mais variadas possíveis. A música que sai do autor não é a mesma que chega ao fã. A música que eu interpreto não é a mesma que você interpreta. Isso tudo para dizer que sua interpretação faz sentido sim, mas não é a única a fazer sentido. Eu continuarei achando que faz mais sentido a mim interpretá-la como liberdade para se amar a quem quiser, da maneira que quiser, como quiser, casando a sua letra com Sociedade Alternativa. Mas, é isso. Isso é filosofia, é música, é poema…a subjetividade é o que sobressai e é o que importa.

  2. Helvio Almeida disse:

    Sobre esta música: é um nó na garganta! Simplesmente linda. Afogo-me calmamente em um passado tão sinestésico, tão meu, tão minha interpretação.

  3. Riverson Costa disse:

    Seria bacana você destacar a palavra “coração” entre aspas, quando citar esta mera bomba de sangue, quando relacioná-la à sentimentos. Mas esta interpretação sua é muito bacana, uma visão totalmente diferente e coerente. Parabéns!

  4. Robson disse:

    Se for pelo que me é claro:
    O clipe é sobre se libertar de um amor, que ele queria só para ele.
    Mas ele percebeu que o que ele queria era monótono e desgastante.
    E o clipe exemplifica o amor que estavam vivendo, rotineiro e desgastado.
    por fim, vá então dá para outros, sua vagabunda que isto também vai me fazer sair desta vida.
    Raul era sarcástico.

    1. Essa pode também ser outra interpretação! O Raul era riquíssimo nas possibilidades de interpretações de suas músicas!
      Por isso coloquei o título como UMA interpretação ALTERNATIVA. Com certeza existem muitas outras interpretações alternativas!
      Abração e Viva Raul!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s