Uma interpretação da música “Cachorro Urubu”

Por Isaias Costa

urubu

As músicas do Raul Seixas são repletas de ensinamentos e críticas, principalmente as do início da sua carreira.

Nesse pequeno texto, farei uma interpretação da linda música “Cachorro Urubu”, lançada no seu primeiro álbum solo, o “Krig-ha, Bandolo!”, de 1973. Essa música foi composta por ele em parceria com o Paulo Coelho. Abaixo está a letra completa com o vídeo da música.

Cachorro Urubu – Raul Seixas

Baby, essa estrada
é comprida
Ela não tem saída
É hora de acordar
Pra ver o galo cantar
Pro mundo inteiro escutar

Baby a estória é a mesma
Aprendi na quaresma
Depois do carnaval
A carne é algo mortal
Com multa de avançar sinal

Todo jornal que eu leio
Me diz que a gente já era
Que já não é mais primavera
Oh baby, oh ba…by
A gente ainda nem começou

Baby o que houve na França
Vai mudar nossa dança
Sempre a mesma batalha
Por um cigarro de palha
Navio de cruzar deserto

Todo jornal que eu leio
Me diz que a gente já era
Que já não é mais primavera
Oh, baby, oh baby
A gente ainda nem começou

Baby isso só vai dar certo
Se você ficar perto
Eu sou índio Sioux
Eu sou cachorro urubu
Em guerra com Zé “U”

********

Na primeira estrofe da música, ele faz uma crítica profunda ao sistema de trabalho escravista do Brasil. A estrada comprida é a extensa carga horária e também as grandes distâncias que todos têm que percorrer para irem ao trabalho. Ela não tem saída porque é algo implantado em nossas mentes, somos treinados para sermos escravos. É hora de acordar pra ver o galo cantar pro mundo inteiro escutar tem a ver com a hora que a maior parte das pessoas acorda, entre 4 e 6h da manhã, ou seja, muitos acordam junto com os galos ou até mesmo antes deles…

Na segunda estrofe ele critica os dogmas e preceitos da igreja católica, que considera o sexo um pecado, algo mortal que pode levar para o inferno se for vivido fora do casamento. Eu acho muito engraçado, porque o carnaval foi uma festa criada pela igreja católica. Nesses 4 dias todos podem fazer sexo à vontade, depois vem a quaresma com jejuns e penitência e nada de sexo! É disso que ele está falando nessa estrofe. Aqueles que fazem sexo depois do carnaval de forma “clandestina”, segundo a igreja, estão condenados a irem para o inferno…

O refrão critica os jornais sensacionalistas, que só falam sobre desgraças e notícias de fofoca. A gente ainda nem começou quer dizer que tudo isso que os jornais colocam não é a verdade, porque a verdade é algo absolutamente individual. Ainda há tanta coisa para a humanidade viver que o Raul sacava bem isso e deixou bem explicito nesta música, e eu ratifico! Pode ter certeza, a gente ainda nem começou…

Na segunda parte da música ele fala sobre a Revolução Francesa, que mudou completamente as formas de trabalho no mundo todo. Depois desta revolução, o trabalho se tornou ainda mais escravizante do que já era. A mesma batalha por um cigarro de palha quer dizer que trabalhamos muito para recebermos apenas pequenas migalhas no final do mês, migalhas que mal dão para pagar as contas.

A estrofe final é simplesmente genial. Ele diz que isso só pode dar certo se você ficar perto, esse ficar perto não é perto de distância, mas “esperto”, ou seja, não se deixar engolir pelo sistema massacrante no qual estamos todos inseridos. Ele gostava de escrever nas entrelinhas e essa eu levei muito tempo para entender…

Eu sou um índio Sioux se refere aos índios rebeldes americanos, que brigavam com todas as suas forças para não serem dominados pelos brancos. A maior parte desses índios foram assassinados, mas não se renderam para se tornarem escravos, como fez o Raul, um verdadeiro revolucionário.

Esse cachorro urubu em guerra com Zé “U” são os Estados Unidos, que tem como sigla USA, o “U” vem desta sigla. O nome cachorro urubu tem ligação com um dos Pajés das tribos Sioux dos EUA que se rebelou contra os EUA e o presidente Nixon em 1973, em busca de direitos sobre as suas terras…

Enfim! Essa é uma das muitas músicas repletas de críticas a essa sociedade tão hipócrita em que vivemos. Espero que tenha gostado e busque ser um pouco mais rebelde, um pouco mais cachorro-urubu…

Anúncios
Uma interpretação da música “Cachorro Urubu”

11 comentários sobre “Uma interpretação da música “Cachorro Urubu”

  1. Valério Marques Viana disse:

    Adorei o texto escrito aqui nesse post. Mas um detalhe: quando ele diz na música: sou índio Sioux em guerra “com o ZÉ U”, esse trecho não quer dizer, de forma meio caipira (que até nós usamos), “com os E.U. (Estados Unidos)”? Se pronunciar rápido, verá que essa forma de pronúncia (com os E.U.) se encaixa…

    1. Com certeza a música pode ser interpretada também desta forma, agora o mais importante é saber que ele a compôs realmente para falar dos Estados Unidos nessa parte da música.
      Grande abraço meu amigo!

      1. Guanambi disse:

        Vale a pena ouvir a versão de Cachorro Urubu de 1974, passo o link abaixo, o próprio Raul explica antes de cantar a música que “Cachorro Urubu” é o nome do Pajé da tribo Sioux que declara guerra aos Estados Unidos e ao Presidente Nixon em 1973, em busca de direitos sobre sua própria terra… Daí a inspiração para a música.

  2. Muito obrigado Guanambi pela sua contribuição. Quando escrevi esse texto, eu realmente não tinha essa informação e tinha dúvidas quanto ao significado do nome “Cachorro-urubu”. Serviu para enriquecer o texto e o conhecimento dos leitores.
    Seu comentário me ajudou a reeditar esse texto consertando o pequeno equívoco da minha interpretação.
    Muito obrigado mesmo meu amigo! Sigamos juntos! Viva Raul!

    1. Guanambi disse:

      Que nada rapaz, eu é que agradeço por tua gentileza em abrir espaço para que a gente contribua também em tua análise e por compartilhar esse ótimo texto sobre Cachorro Urubu, uma das minhas favoritas do grande Raul Seixas. Nada mais bonito do que estarmos todos aqui reverenciando esse artista tão especial, legal ver como a obra do nosso Raul é realmente crítica e atemporal! Abração e sigamos!

  3. MRC disse:

    Legal sua interpretação.. Só que vc não sabe o que ta falando na parte de festa de sexo criada pela igreja.. Mas tá, melhor não discutir..

  4. Paulo disse:

    Concordo com quase tudo deste comentário, mas a Igreja católica não instituiu carnaval, não permite ou incentiva sexo que não seja pra reprodução, muito menos fora do casamento.

  5. Vigotsky disse:

    O comentário feito sobre a Igreja quer dizer que os católicos instituiram o Carnaval em 590 d.c na “Sociedade Católica Feudal”, no momento em que criaram a Semana Santa, que ocorre cerca de 40 dias após a terça-feira gorda (Ou sete domingos após) e simboliza os 40 dias que Jesus passou em jejum no deserto. Ou seja, a Igreja não cria o carnaval, mas quando adota a quaresma, os católicos – que são a Igreja – aproveitam nas festividades os prazeres da carne, antes que se inicie o período de abstinência. Ela incorpora o carnaval na Idade Média porque não consegue impedir a tradição das festividades, fazendo vista grossa às mesmas, ao mesmo tempo que tenta chamar os fiéis para as condutas reais da Igreja através da quaresma.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s